Passo-a-passo: Fazendo uma composteira

Aprenda a fazer sua própria compostagem em casa.

Nesse post  falamos sobre os benefícios e as vantagens de se fazer a compostagem, além de termos explicado como essa técnica de reciclagem de material orgânico acontece. No post de hoje, vamos ver como podemos fazer uma composteira caseira.

 Relembrando:

A compostagem é o processo biológico de aproveitamento de material orgânico, independentemente de sua origem (industrial, domestico, etc.) e pode ser considerada uma técnica de reciclagem do lixo orgânico.

Por se tratar de um processo natural dos materiais orgânicos, a compostagem acontece de forma natural com a ação de microrganismos.

Fazendo a cospostagem

Resolvi que vou aderir à técnica. A primeira coisa que você precisará é de uma composteira. Como mencionamos no post anterior, você pode comprar uma composteira que suporte o seu consumo de material orgânico diário ou você pode construir uma composteira com materiais como plásticos e madeiras.

Para construir a sua composteira, você precisará de três recipientes de plástico ou de madeira que possam ser empilhados um em cima do outro. Se você mora com mais de duas pessoas, sugere-se um tamanho de 45x60x30; se você mora sozinho ou com apenas mais uma pessoa, o tamanho sugerido é de 30x40x15. Mas isso irá depender de seus hábitos.

Passo-a-passo

Com os seus três recipientes em mãos, e tendo em mente que você empilhará eles, faça furos de no mínimo meio centímetro no recipiente que irá ficar no meio e no recipiente que ficará no topo. No recipiente restante, acrescente uma torneira em algum lugar ou algum mecanismo que possibilite a coleta do líquido armazenado.

Escolha entre os recipientes do meio e do topo para dar início à sua compostagem, mas tenha em mente que o recipiente de baixo é para conter líquido. Com o recipiente escolhido, coloque cerca de meia porção da terra boa, algumas minhocas e em seguida coloque uma porção do material orgânico (que é naturalmente úmido) misturado com o dobro de material seco. Tenha em mente que a proporção é sempre 2 por 1, ou seja: duas porções de material úmido (orgânico) para uma porção de material seco (terra boa ou serragem, por exemplo).

Empilhe as caixas e tampe. Lembre que você deve ter um recipiente em baixo com uma torneira ou algum mecanismo que possibilite a coleta do líquido, um no meio com furos para o de baixo e um em cima com furo para o debaixo e com uma tampa em cima.

O recipiente em que você colocou as minhocas, a terra e o material orgânico deve ficar no meio. Você irá mudar o lugar dela para cima quando ela estiver completamente cheia. Quando isso acontecer, troque de lugar com a de cima e siga o ciclo de depositar o material orgânico no recipiente do meio até ele encher.

Quando você tiver dois recipientes cheios, parabéns! Isso significa que o seu composto está pronto e já pode ser utilizado como adubo. Utilize como você preferir e, uma vez que você esvaziou sua composteira, é hora de começar o ciclo novamente.

O recipiente de baixo, irá coletar e armazenar o líquido produzido pela compostagem. Esse líquido é chamado de chorume e ele não é descartado. Ele é rico em nutrientes e pode ser utilizado em suas plantas, também como uma forma de adubo.

Dicas:

Quanto maior o pedaço do material orgânico, mais tempo ele levará para se decompor. Então se preferir, triture os materiais orgânicos antes de levá-los para a composteira.

Deixe a composteira o mais próximo possível de sua cozinha, dessa forma fica mais fácil depositar o material orgânico nela. Mas cuidado para não deixar a composteira num lugar de sol em abundância. A composteira precisa de um lugar arejado e protegido do sol.

Toda vez que você adicionar uma nova porção de material orgânico em sua composteira, lembre-se de mexer todo o composto. Assim você estará ajudando na qualidade de seu composto, e na oxigenação do mesmo. Além de evitar o mau cheiro.

O seu composto precisa estar úmido. Não precisa pingar em abundância, mas não pode estar seco demais. O ideal é que na hora de testar a umidade, a sua mão saia úmida. Se sua mão estiver escorrendo líquido em abundância, acrescente mais material seco. Se sua mão sair seca demais, borrife um pouco de água.

Como saber se está dando certo?

Seu composto, pronto ou não, não pode ter mau cheiro. O cheiro típico desse composto é um cheiro doce e leve de terra. Para saber exatamente o que você pode e não pode colocar no seu composto, leia o nosso post anterior.

Além disso, o material final deve apresentar um aspecto no qual não é possível distinguir o que é o quê. Deve ser de uma cor escura e deve ter o cheiro de terra descrito acima.

Wesco oferece sustentabilidade

A Wesco é uma das mais competentes em oferecer soluções práticas para escolas, condomínios e empresas que seguem um compromisso com o meio-ambiente e a necessárias sustentabilidade. Veja mais informações no site: wesco.com.br

Com informações: M de Mulher; Wesco; Ciclo Vivo; Blog Mundo Horta.

Falar com um Consultor
× Como posso te ajudar?