Pesquisa global da SCA mostra a importância da higiene para as pessoas

Esta pesquisa foi realizada em 2014 nos seguintes países: Brasil, China, França, Alemanha, Itália, Espanha, Suécia, México, Holanda, Rússia, África do Sul, Reino Unido e Estados Unidos e contou com dados de 13.492 respondentes. Foram pesquisados 500 mulheres e 500 homens em cada país e os resultados foram expressos em médias das respostas de cada país.

higiene

Três principais áreas foram destacadas, com base nas percepções dos consumidores:

  • Higiene em locais públicos e as preocupações em adquirir doenças em virtude de baixos padrões de higiene.
  • O tabu da menstruação.
  • A importância da higiene e a Internet como uma fonte cada vez maior de informação sobre a saúde e hábitos de higiene.

Os principais destaques dos resultados foram os seguintes:

  • Em geral, 52% das mulheres evitam usar um banheiro público por preocupação com a falta de higiene; no Brasil, esta porcentagem aumenta para 70%.
  • Na África do Sul, 21% das pessoas evitam comer nas casas de outras pessoas, preocupadas com eventual falta de higiene na preparação dos alimentos.
  • Na China, 59% das pessoas evitam tomar banho de chuveiro ou nadar numa piscina localizada num ginásio público de esportes, por preocupação com a falta de higiene.
  • Em geral, 6 de cada 10 mulheres que responderam a pesquisa evitam uma das seguintes atividades por preocupação com baixos padrões de higiene: 52% delas evitam usar um banheiro público; 26% delas evitam tomar banho de chuveiro num ginásio público de esportes e 12% delas não frequentam cafés, bares ou restaurantes.
  • Os padrões de higiene melhoraram de forma importante nos seguintes países: no Reino Unido, 39% dos que responderam disseram que os padrões de higiene melhoraram nos banheiros públicos; nos Estados Unidos, 48% dos respondentes disseram que as pessoas assumirem uma maior responsabilidade pelos padrões de higiene é chave para melhorar esses padrões; na China, as autoridades recorreram aos legisladores e 44% dos que responderam disseram que a legislação melhorou, tornando-se mais clara em relação à melhora dos padrões de higiene.
  • Globalmente, a responsabilidade individual é muito importante para melhorar os padrões de higiene e os itens mencionados foram: maior responsabilidade pessoal (33%), melhor educação e informação (26%), melhor padrão de higiene em banheiros públicos (24%), melhores padrões de higiene em locais públicos, como restaurantes, ginásios de esportes e centros de conferência (19%), legislação reguladora mais clara (19%), melhora dos sistemas abastecimento de água e da rede de esgotos (16%), melhores e mais baratos produtos de higiene (11%) e maior responsabilidade das empresas em geral (7%).
  • Os aspectos da higiene pessoal que foram considerados mais importantes: não ter escovado os dentes (92% das mulheres 84% dos homens); não usar desodorante (79% das mulheres e 66% dos homens); não lavar as mãos (75% das mulheres e dos homens); não tomar banho diário (75% das mulheres e 72% dos homens); não lavar os cabelos (74% das mulheres e 64% dos homens); não usar roupas limpas (68% das mulheres e 64% dos homens); estarem menstruadas (54%); não estar barbeado (41% dos homens); não usar maquiagem (36% das mulheres). Vinte e cinco por cento dos que responderam acham que as mulheres são mais afetadas que os homens por baixos padrões de higiene.
  • Brasil, China e África do Sul foram os países mais pressionados para melhorar os hábitos de higiene em geral.
  • Melhorar os sistemas de abastecimento de água e a rede de esgotos é a prioridade número um dos BRICs (Brasil, Rússia, China e África do Sul).
  • A menstruação causa desconforto social para a maioria das mulheres, sendo as maiores porcentagens situadas na China, no Brasil, no México, na Rússia e na África do Sul.
  • Mais de 50% dos que responderam usam a Internet para buscar informações sobre higiene e 78% dos que responderam usam a Internet para pesquisar ativamente ou para discutir temas de higiene e saúde.

higiene

Os principais achados desta pesquisa foram os seguintes:

  • Tanto os homens quanto as mulheres acreditam que bons padrões de higiene são importantes e se preocupam em não adquirir doenças por causa dos baixos padrões de higiene dos locais públicos.
  • Os indivíduos devem assumir uma maior responsabilidade.
  • Os governos e os funcionários públicos e privados devem melhorar os seus padrões de higiene.
  • As mulheres são afetadas quando estão menstruadas devido a tabus e à falta de produtos de higiene.
  • A Internet é uma crescente fonte de informação.

A contribuição da SCA é importante por:

  • Educar, informar e engajar no diálogo público;
  • Pelos produtos e serviços inovadores;
  • Pelos programas de treinamento;
  • Pela distribuição de absorventes higiênicos nos campos de refugiados;
  • Pelos programas de lavagem de mãos para crianças;
  • Pelo treinamento de 10.000 enfermeiras para lidar com problemas de incontinência.

Para ver a pesquisa completa original em inglês, clique aqui.

Você gostou deste post? Você acha que os padrões de higiene brasileiros são adequados? Você acha a higiene dos banheiros públicos adequada? E dos banheiros onde você trabalha? Se a resposta for negativa, você tem alguma sugestão para melhora-los? Por favor, deixe os seus comentários no espaço a seguir.

Clique no banner abaixo para conhecer os produtos Tork:

higiene

Falar com um Consultor
× Como posso te ajudar?