Saúde bucal dos funcionários: mais que uma questão financeira

Saúde bucal dos funcionários: mais que uma questão financeira

Incentivar a higiene da boca dos funcionários é uma forma de empoderá-los

Imagine a seguinte questão: Eduardo é um dos funcionários exemplares em uma empresa que descobre uma cárie em um dos seus dentes. Ele vai ao dentista e fica sabendo que precisa de um tratamento de canal. Porém, quando recebe o resultado de uma tomografia da boca descobre que está com uma fístula dental, consequência de uma infecção do dente. Para o pesadelo de Eduardo, o seu dente está perdido, pois a raiz do mesmo está trincada.

Em meio a essas descobertas, procedimentos, tempo de recuperação e tomografia, Eduardo se ausentou por pelo menos 30 dias no total de seu trabalho. Mesmo retornando ao trabalho, ele voltará a se ausentar daqui a 60 dias, quando fará um implante.

O caso fictício esconde uma realidade pouco levada em conta em diversas empresas: casos médicos de especialidades variadas são sempre colocados na frente da saúde bucal. E por que isso acontece? Grandes líderes não conseguem visualizar que problemas dentários vão além de simples escovações. É necessário incentivar os procedimentos completos para garantir a boa saúde da boca.

Odontologia do trabalho

Com o objetivo de assegurar a saúde bucal do trabalhador, a odontologia do trabalho é a especialidade que busca permanentemente a atividade laboral e a preservação e manutenção da saúde bucal do trabalhador.

Não é por acaso que tramita no Senado o Projeto de Lei que determina a obrigatoriedade das empresas manterem serviços especializados em segurança em medicina e odontologia do trabalho. O Projeto de Lei 422/2007 tem caráter conclusivo e aguarda aprovação na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Na categoria odontológica, o PL obriga as empresas a incluírem em seus exames admissionais e demissionais, exames odontológicos.

Em entrevista no Portal da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), a presidente da Câmara Técnica de Odontologia do Trabalho do Crosp, Eliete Camanho, diz que é importante que a saúde bucal do trabalhador tenha atenção especial e não seja vista de maneira isolada do restante do corpo, afinal, a cavidade bucal é a porta de entrada para os diferentes riscos (físicos, biológicos, mecânicos, químicos, ergonômicos) do ambiente laboral.

“E a depender do tempo, concentração a que o trabalhador esteja exposto surgem manifestações bucais conhecidas como doenças ocupacionais. As quais permeiam por lesões de mucosa, doença periodontal severa, xerostomia, alterações ósseas, cárie de radiação, desgaste dental, erosão dental, abrasão, necrose da mucosa dos lábios e das gengivas, gengivite, estomatite, dores articulares, bruxismo, queilite actínica, câncer bucal além da ocorrência de acidentes de trabalho, absenteísmo, perda de produtividade, desestímulo”, explicou Eliete.

Doença bucal x produtividade

A Wesco possui uma linha especializada para os cuidados da higiene bucal para funcionários de empresas.

A Wesco possui uma linha especializada para os cuidados da higiene bucal para funcionários.

Assim como na história de Eduardo, milhares de funcionários podem comprovar que as más condições de saúde bucal afetam a produtividade e seus resultados em uma empresa.

Fora casos mais extremos, o trabalhador que possui dor de origem odontológica será impactado pela falta de concentração durante seu expediente, impulsionando, assim, a ocorrência de erros e acidentes de trabalho, sem contar com as dificuldades no relacionamento interpessoal, resultado da alteração de humor causada pela dor.

Outro desdobramento de dores e doenças bucais está relacionado à automedicação que tende a ocorrer nesses casos. Esse tipo de atitude interfere de forma negativa no trabalho, pois muitos podem causar depressão do sistema nervoso central.

O papel do empregador

Se o Estado busca formas de proteger o trabalhador e adequar a Odontologia do Trabalho para que ela seja assertiva e satisfatória, cabe ao empregador que ofereça de forma digna as mais básicas ferramentas para limpeza da boca de seus colaboradores.

Além de ser um investimento na saúde do seu principal bem (o capital humano), uma equipe que usufrui de um ambiente de trabalho que lhe ofereça bem estar, terá uma produtividade ainda maior.

Invista em higiene bucal em sua empresa

Desenvolver ações para conscientizar os colaboradores sobre a importância dos cuidados com a higiene bucal pode reduzir o absenteísmo de corpo presente, além de favorecer o vínculo entre empregados e empresa.

Sendo referência em soluções que possam estimular o bem-estar e a saúde dos trabalhadores e clientes por meio de produtos para a higiene pessoal, a Wesco possui uma linha especializada para os cuidados da higiene bucal.

O Dispenser de Fio Dental pode ser instalado em lugares públicos como escritórios, indústrias, restaurantes, universidades, órgãos governamentais, consultórios, laboratórios, hospitais e outros. Com um mecanismo exclusivo de corte automático do fio, evita a exposição do fio e da lâmina, protegendo-os de contaminação, além de evitar qualquer contato com a lâmina (que é um objeto perfuro-cortante) e com o pedaço de fio dental que o próximo usuário irá utilizar.

Este mecanismo de segurança é imprescindível em locais de uso coletivo, pois a implantação de um sistema de fio dental num ambiente coletivo é muito séria, por ser algo que durante a utilização causa sangramento por diversas vezes, entrando em contato direto com a corrente sanguínea.

O Kit de Enxaguante Bucal, acompanha um suporte com sistema anti furto, para frascos de Listerine de 1,5L, um suporte para copos descartáveis de 50ml e bombinha dosadora.

Conheça a Wesco e descubra o produto ideal para a sua empresa fortalecer o ambiente de trabalho e a relação com o cliente.

Com informações: APCD, Sorrisologia, Administradores, RevOdonto, A Empreendedora.