Índice de consumo das famílias registra queda de 23,8%
  • Av. Santa Catarina, 2.505 - Vila Mascote, São Paulo - SP
  • contato@wesco.com.br
  • Telefone: +55 11 5506-7900

Índice de consumo das famílias registra queda de 23,8%

O Índice de consumo das famílias apurado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgado em 18/06/2015, registrou uma queda de 23,8% na comparação com o mesmo mês de 2014, e de 4,8% em relação ao mês anterior, conforme escreveu Mariane Rocigno para o site NO VAREJO.

Segundo a autora, quase metade das famílias declararam estar com o nível de consumo menor que o do ano passado.

Ainda segundo esta autora, a análise mensal mostrou que todos os indicadores relacionados ao consumo estão na zona negativa (compra a prazo, nível de consumo atual, perspectiva de consumo e momento para duráveis). Já os itens ligados à satisfação com o emprego também apresentaram quedas, mas ainda estão acima dos 100 pontos.

O índice que registrou o menor nível foi Momento para Bens Duráveis, com queda de 7,2% na comparação mensal e de 38,4% na comparação anual. Segundo o estudo, 62,9% das famílias consideram o momento desfavorável para compra desses itens. Os altos custos do crédito e de endividamento são os principais motivadores desse enfraquecimento na intenção de compra.

Já Alessandra Saraiva escreveu no site Valor Econômico que com juros altos, crédito caro e renda do trabalhador em desaceleração, além dos aumentos de preços administrados importantes, como luz, água e esgoto, o interesse de consumo das famílias registrou o pior nível em cinco anos.

Este cenário levou a CNC a revisar para baixo, pela quarta vez consecutiva, a projeção de variações do volume de vendas do comércio varejista para 2015. Ainda escreveu Alessandra que, de acordo com a economista do CNC Juliana Serapio, não há sinais de reversão do atual quadro desfavorável para o consumo no curto e médio prazo e esta especialista não descarta novas revisões para baixo da estimativa de variação de vendas do setor.

Finalmente, Fernanda Nunes escreveu no site Exame.com que, na divisão por faixa de renda, o cenário é pior entre as famílias com renda maior que 10 salários mínimos.

Quais, na sua opinião, são os principais fatores responsáveis por esta atual situação da economia em nosso país? Quais fatores ou medidas poderiam começar a reverter este quadro? Como está o seu consumo pessoal e familiar? Por favor, deixe a sua opinião e comentários no espaço a seguir.