Fezes de animais: contato pode trazer graves riscos à saúde

Fezes de animais: contato pode trazer graves riscos à saúde

Apenas lavar as mãos não é o suficiente para se livrar dos riscos de contaminação

O contato com fezes de animais pode ser bastante nocivo para o ser-humano. Por isso, é preciso tomar alguns cuidados para evitá-lo. Existem algumas regulamentações que restringem os locais em que os bichos podem circular com seus donos. Mesmo assim, continua comum o trânsito de pessoas e seus pets não só nas ruas, mas também em lugares privados, como é o caso de alguns estabelecimentos comerciais e, principalmente, condomínios. Logo, recomenda-se que os donos estejam sempre preparados para eventuais "sujeiras" que seus companheiros peludos façam pelo caminho.

Zoonoses são enfermidades transmitidas naturalmente dos animais ao homem. Apesar dos avanços verificados no seu controle, a incidência de zoonoses permanece alta em todos os países em desenvolvimento. Zoonoses emergentes aparecem constantemente como resultado de troca de comportamento de algumas doenças e podem se transformar em ameaças, como a hantavirose.

Mais de 200 zoonoses são conhecidas, sendo causa de consideráveis morbidade e mortalidade em grupos demográficos vulneráveis, especialmente crianças, idosos e trabalhadores ligados às áreas da saúde pública e veterinária.

A saúde humana e a animal estão indissoluvelmente ligadas. Os seres humanos dependem dos animais para sua nutrição, companhia, desenvolvimento tecnológico, socioeconômico e científico. Sendo os animais de laboratório essenciais para o desenvolvimento e testes de vacinas, controle da qualidade de inúmeros medicamentos, ensino e pesquisas de diferentes enfermidades.

  • Leda Maria Silva Kimura - Médica Veterinária

 

Quando se fala sobre a presença de animais no comércio, cabe a cada proprietário definir as regras, se optar pela permissão, ou simplesmente proibi-la. É claro que existem exceções que são amparadas pela lei e que, por consequência, não podem ser desobedecidas, como acontece com pessoas cegas que necessitam da companhia constante de cães guias. No caso dos condomínios, não há leis que permitam ou proíbam a circulação com animais. Cabe a cada conjunto habitacional definir suas próprias diretrizes sobre o assunto.

Caso decida-se pela liberação, a atenção deve ser redobrada, pois é grande a incidência de crianças brincando no lado de fora e, como não é novidade, elas tendem a levar praticamente tudo que encontram à boca, dependendo de quantos anos têm, além de os próprios pets ficarem cheirando as fezes de outros animais e se contaminarem, levando esta contaminação para dentro de casa ao lamber as pessoas.

Nesse caso, a possibilidade de contato com fezes de animais é maior e, caso ocorra, pode desencadear uma série de problemas graves à saúde. Além do mais, descuidos são comuns até entre os adultos. Por isso, medidas que visam evitar transtornos do tipo são mais que bem-vindas.

Doenças causadas pelo contato

Entre os principais problemas causados pelo contato com fezes animais, estão a toxoplasmose, o adenovírus, o bicho geográfico, a histoplasmose, a giardíase e a toxocaríase. Febre, diarreia e infecção são alguns sintomas normalmente observados em pessoas acometidas por alguma dessas ou de outras doenças adquiridas pelo contato com fezes animais. O diagnóstico, entretanto, deve ser feito juntamente de um médico, para que as medidas adequadas ao tratamento sejam definidas conforme o estado clínico identificado.

Como métodos preventivos, existem várias atitudes que podem minimizar as chances de contaminações como essas. A mais básica e que deve ser feita frequentemente é a lavagem das mãos. Para isso, mais do que apenas água, é fundamental usar produtos de higiene que certificam o extermínio das bactérias.

Também é importante levar frequentemente os animais ao veterinário, para que qualquer anomalia seja identificada a tempo de evitar maiores transtornos tanto para a saúde do pet quanto para das pessoas que mantém contato com ele. Manter a carteira de vacinação também é imprescindível. No mais, o ideal é acompanhar as crianças durante a brincadeira e levá-las periodicamente ao pediatra.

Solução para condomínios e lugares públicos

Para o recolhimento das fezes dos animais, entendendo que às vezes é incomodo andar com sacos plásticos na bolsa ou na mochila, e sabendo que embalagens comuns nem sempre são adequadas para o transporte e descarte dos dejetos recolhidos, a Wesco desenvolveu o Acacabou, que consiste em um dispenser carregado com sacos plásticos oxi-biodegradáveis que podem ser facilmente retirados um a um, sem desperdício de material. Eles são ideias para locais onde ocorra a circulação de pessoas ao saírem para passear com seus pets e devem ser fixados em ambientes de fácil acesso para todos, pois assim toda a vizinhança ficará livre de fezes nas calçadas, evitando que moscas se difundam pelo bairro, além de evitar que nós pisemos e que pets cheirem fezes contaminadas, levando doenças aos lares..

Por serem oxi-biodegradáveis, os saquinhos usados para o recolhimento e transporte das fezes animais não oferecem riscos ao meio ambiente, pois eles naturalmente entrarão em decomposição depois de algum tempo.

Assim, tomando todos os cuidados para a saúde e respeitando o direito que cada pessoa tem de transitar por ruas, calçadas e praças limpas, sem qualquer vestígio de fezes de animais; é possível aproveitar ao máximo as alegrias trazidas pela companhia daqueles que sempre estão ao nosso lado, dispostos a tudo para nos fazer felizes. Sem riscos e sem estresse.

Conheça o Acacabou clicando aqui.

Fontes: https://goo.gl/m3n1Kk