CUIDADOS NAS ACADEMIAS: equipamentos podem ter muitas bactérias

CUIDADOS NAS ACADEMIAS: equipamentos podem ter 362 vezes mais bactérias que um vaso sanitário

A prática de atividade física está em alta no país e as academias são os locais mais procurados por aqueles que querem levar uma vida longe do sedentarismo. De acordo com a ACAD (Associação Brasileira de Academias) há mais de 33 mil estabelecimentos dedicados a atividade física em funcionamento, o que deixa o Brasil atrás apenas do EUA.

São mais de 8 milhões de alunos matriculados em academias para todo o tipo de público, das mais luxuosas com altas mensalidades, às mais econômicas que podem ser encontradas em shoppings populares e nas ruas da cidade.

Entretanto, esses milhões de usuários preocupados com o próprio bem-estar podem colocar a saúde em risco, e não se trata apenas da realização de exercícios sem a devida orientação profissional.

Com tantas pessoas circulando por este ambiente, compartilhando os mesmos aparelhos, aumentam também os riscos para a contaminação por bactérias que podem causar infecções graves na pele e contaminação fúngica como micose e candidíase.

Uma pesquisa realizada no mercado norte-americano pelo site Fit Rated, especializado em avaliar produtos fitness em parceria com o laboratório EmLab P&K, avaliou 3 academias franqueadas em todo o país, para avaliar o risco de infecções nesses locais. Foram coletadas amostras de esteiras, bicicletas ergométricas, e halteres.

Em todos os equipamentos os resultados foram positivos para diferentes tipos de bactérias: as do tipo cocos são causa comum de infecções na pele e outras doenças; bastonetes gram-negativos podem levar a muitos tipos de infecções e às vezes resistir a antibióticos; e bactérias que em geral não são prejudiciais a saúde.

As bicicletas ergométricas e amostras de halteres também apresentaram o Bacillus - uma causa potencial de várias condições, incluindo infecções de ouvido, olhos e vias respiratórias. Para compreender os reais riscos de contaminação a pesquisa comparou o total de bactérias encontradas nos equipamentos a objetos presentes no nosso dia a dia.

Os halteres são os que causam maior preocupação, em média cada halter possui 362 vezes mais bactérias que um vaso sanitário. A bicicleta ergométrica em média abriga 39 vezes mais bactérias do que uma bandeja de praça de alimentação. E a esteira tem em média 74 vezes mais bactérias do que uma torneira de banheiro público.

Como se proteger dos riscos

Diante desse cenário, fica evidente os perigos escondidos aos olhos dentro das academias, no entanto, ainda é possível manter as atividades físicas dentro dos centros de treinamento alinhado à prática de higiene para garantir a segurança dos usuários.

As primeiras medidas são de responsabilidade das academias, que precisam manter um cronograma de limpeza dos equipamentos e das instalações diariamente. É preciso também, utilizar produtos que possam fazer a higienização correta, como o álcool e o papel toalha. Estes produtos também podem ficar à disposição dos usuários, próximo aos equipamentos.

Por outro lado, cabe aos usuários algumas medidas para evitar a contaminação e o contágio com as bactérias. A primeira delas é sempre tomar banho antes de ir para a academia. Utilize roupas que protejam todo o corpo, como calça de ginástica e tênis adequado, evite tocar no rosto e lave as mãos após utilizar um equipamento.

Ao terminar o treino, é indicado que usuário tire as roupas imediatamente e as coloque em um saco separado para não contaminar o resto da mochila. No vestiário faça uso de um chinelo, mesmo dentro do box, e utilize sabonete adequado para a assepsia.

As roupas de academia precisam de cuidados especiais, lave-as sempre que chegar em casa com produtos específicos para eliminar as bactérias presentes no suor. A bolsa utilizada na academia também precisa ser lavada com frequência para evitar o acúmulo de fungos e bactérias.

Não compartilhe utensílios de uso pessoal como toalhas, peças de roupa, garrafas, entre outros objetos. Caso note algumas manchas, coceiras ou outros problemas pelo corpo procure um médico. Se estiver gripado, tire a semana de folga, assim evita-se a contaminação com outras bactérias que podem agravar o quadro e a transmissão para outras pessoas.

Linha Wesco para higienização das mãos

Como apresentado, para prevenir a proliferação de bactérias nocivas à saúde, academias e atletas precisam assumir algumas mediadas preventivas quanto a higiene do ambiente e pessoal. Tais mediadas podem ser apresentadas pelo estabelecimento através de cartazes espalhados pelas instalações.

Além disso, é preciso que os administradores destes locais tenham certeza de estar oferecendo aos seus clientes produtos adequados para garantir a segurança, conforto e bem-estar daqueles que frequentam diariamente seu estabelecimento.

Para contribuir com a higiene nas salas de ginasticas e musculação a Wesco oferece soluções como o dispenser de Álcool Purell, que pode ser instalado em qualquer ambiente. O dispositivo possui sensor automático de acionamento, para evitar o contato e consequentemente a contaminação do aparelho. Além disso, o dispositivo possui eficiência econômica disponibilizando apenas 1 ml de álcool em gel, suficiente para eliminar 99,99% dos vírus e bactérias.

Elaborado com álcool de cereais, que contém propriedades que permitem a combinação com umectantes que não irritam ou prejudicam a pele, proporciona um uso contínuo do produto, ajudando assim, a manter todos em seu estabelecimento mais protegidos.

Vale lembrar que o uso do álcool gel não substitui a tradicional lavagem das mãos com água e sabão, mas é um indispensável complemento para uma higienização completa.

Dispenser Tork Elevation Hands-Free

Dispenser Tork Elevation Hands-Free

O dispenser Tork Elevation para papel toalha completa o procedimento de limpeza das mãos, assegurando a higiene com o sistema touch- free, onde o usuário toca apenas no papel que vai utilizar, proporcionando uma economia de 33% no consumo de papel e evitando a contaminação por outros usuários tocarem nas folhas que outros virão a utilizar. O dispenser possui uma aparência moderna e é adequado para espaços que recebem muitos visitantes.

O dispenser Tork Sabonete Suave complementa a higienização dentro dos vestiários. A espuma liberada facilita a limpeza das mãos, além de possuir ingredientes que reduzem o risco de irritação da pele. Com capacidade de armazenamento de 1L, o dispenser nas opções com sensor e toque manual, libera 0,4ml de espuma por acionamento, quantidade ideal para a limpeza da pele sem desperdício de produto.

Já o Tork Wiping Paper Plus é forte e extra absorvente, o que o torna ideal para tarefas de limpeza frequente, assim como para limpar as mãos. Este material pode ser usado junto com o Dispenser de Parede de Papel Toalha Wipers Rolo, que é uma solução versátil e de alta capacidade para ambientes profissionais onde é necessária a limpeza manual e de superfície.

Referências: Fit Rated, Dicas de Mulher, Exame, G1