Não recolher fezes do cachorro é risco para ele próprio

Alerta: Não recolher fezes do cachorro é risco para ele próprio

Ter animais domésticos no ambiente familiar é muito bom, porém são necessários alguns cuidados

Animais domésticos como cães e gatos já fazem parte das famílias brasileiras. Ideal para lares com crianças, os bichos de estimação trazem diversos benefícios para todos, inclusive melhorando a saúde dos seres humanos. No entanto, será que as pessoas estão cuidando dos pets de forma correta?

Alguns malefícios do não recolhimento de fezes de animais domésticos podem ser até fatais não só para quem mora com ele, mas para o próprio bicho. O Blog da Wesco traz informações sobre o tema e mostra como evitar problemas relacionados ao cuidado dos pets. 

A companhia de um animal de estimação pode ser essencial para o bem estar das pessoas. Quem possui um, sabe como eles gostam de oferecer sua companhia e lealdade. Além disso, existem diversos estudos que provam que essa parceria pode trazer muitos benefícios para seus donos.

Um estudo realizado pela Universidade Estadual de Nova York, nos Estados Unidos, concluiu que bichos de estimação são ótimas companhias para combater o estresse. O experimento testava os níveis de tensão de pessoas em quatro situações: sozinhas, com seu parceiro, com seu animal e com seu parceiro e o animal. E o que eles descobriram foi que a ocasião de maior tranquilidade foi apenas com o pet.

Apesar dos pelos de animais como cães e gatos serem sempre ligados como causadores de alergias, isso se trata de um mito. Estudos feitos por um pesquisador da Universidade de Wisconsin-Madison mostraram que as chances de uma criança ter esse tipo de problema são 33% menores com um bicho de estimação.

A explicação é que, com a convivência, as crianças acabam desenvolvendo um sistema imunológico mais forte. Todavia, isso não acontece entre adultos que já sofrem de alergias.

Riscos para saúde

Alguns malefícios do não recolhimento de fezes de animais domésticos podem ser até fatais para o próprio bicho.

Alguns malefícios do não recolhimento de fezes de animais domésticos podem ser até fatais para o próprio bicho.

Apesar dessas questões positivas ligadas aos animais de estimação, eles também oferecem alguns riscos quando não são bem cuidados. Caso não sejam levados periodicamente ao médico veterinário, tomem banho regularmente e tenham suas fezes colhidas diariamente, eles representam verdadeiros riscos para seus donos, para eles próprios ou para quem convive com eles.

Veja uma lista com 7 doenças que as fezes dos pets podem causar:

Adenovírus

Uma doença viral em cães que podem danificar o fígado e os rins. Pode causar convulsões, icterícia, sangramento de orifícios e até mesmo a morte.

Parvovírus 

Uma doença viral que causa vômitos, diarreia, imunossupressão e em muitos casos pode ser fatal. Esta doença é particularmente perigosa em filhotes.

Giárdia

Um parasita que infeta o trato gastrointestinal e provoca diarreia.

Coccida 

Um parasita que causa diarreia.

Tênia 

Vermes que vivem fora do trato intestinal causando doenças como vômitos diarreia e anemia.

Toxocaríase

Pode causar cegueira, particularmente em crianças que entram em contato com fezes infectadas e, inadvertidamente, colocando seus dedos em suas bocas.

E-coli 

Podem causar infecções do trato urinário em humanos, meningite, peritonite, mastites, septicemia, pneumonia, vômitos severos e diarreia e, em alguns casos, até mesmo morte.

Vida dos pets em risco

Outra questão muito séria sobre o não recolhimento de fezes é quando essa falta de atitude desperta em pessoas ao redor um sentimento de ódio e intolerância que pode resultar em tentativas criminosas contra a vida do animal.

Em condomínios, por exemplo, onde há grande rotatividade de pessoas esse tipo de assunto desperta grande polêmica e acaba causando brigas entre moradores. A falta de educação ou a ausência de saquinhos plásticos para incentivar o recolhimento de fezes de cães durante o momento do passeio pode ser um sério problema para da boa convivência. Existem relatos até de casos de envenenamentos de animais domésticos.

Em 2016, por exemplo, no Espírito Santo, durante um curto período de duas semanas foram registrados 15 casos de envenenamento de cães. Volte e meia, situações semelhantes surgem e poucas vezes os culpados por tais atrocidades são encontrados.

Segundo especialistas, os primeiros sinais de envenenamento são: salivação, vômitos, inchaço, vermelhidão na boca, taquicardia, diarreia, tremores, secreções bucais e até convulsões. Se perceber que o seu cão ou gato apresentam esses sintomas, é necessário procurar, o quanto antes, um veterinário.

Recolher as fezes é a chave para evitar problemas

Síndicos e gerentes de espaços públicos, como as praças para cães, podem contribuir para a limpeza e bem estar das pessoas e animais que utilizam estes espaços, fazendo a instalação  do dispenser Acacabou.

O Acacabou pode ser fixado nos locais por onde as pessoas costumam passear com seus pets.

O Acacabou pode ser fixado nos locais por onde as pessoas costumam passear com seus pets.

Com saquinhos Oxi-Biodegradáveis, que causam menor impacto ao meio ambiente, o dispenser possibilita a retirada um a um, sem desperdício do produto. O aparelho pode ser fixado nos locais por onde as pessoas costumam passear com seus pets.

Além de preservar a saúde das pessoas e animais, os saquinhos produzidos em material oxi-biodegradáveis entram em processo de degradação a partir de 6 meses, contribuindo para preservação do meio ambiente e, por fim, estimulando os tutores de animais às práticas de responsabilidade social.

Esse tipo de investimento é essencial quando se necessita de maiores campanhas em condomínios e praças, sendo uma ferramenta comprovadamente eficaz para a educação de moradores/visitantes que possuem pets. Com a praticidade de utilização do Acacabou, as pessoas serão influenciadas para seguirem outras regras e deveres relacionados aos cuidados com os pets.

Com informações: Portal do Dog, Saúde.