Absenteísmo: como evitar a constante falta dos funcionários? | Wesco

Absenteísmo: como evitar a constante falta dos funcionários?

Entenda como esse problema leva a prejuízos humanos e financeiros

Muito tem se falado em inteligência artificial, robôs e automatização de processos. No entanto, essa realidade mesmo que um dia possa se tornar comum em meios corporativos, terá uma impossível missão de substituir os seres humanos no ambiente de trabalho.

O capital humano é base fundamental para qualquer empresa, seja pequena, média ou grande. E são os colaboradores, quando engajados, que trazem muito mais do que resultados para empresas: eles são a alma da marca. Então, se estão descontentes, certamente isso se refletirá de alguma forma para quem receberá os serviços ou os produtos da empresa em questão.

Não é a toa que grandes empresas se empenham em demonstrar que empregam conceitos de sustentabilidade e responsabilidade social em seus negócios, empoderando os funcionários para que cresçam juntamente com a marca.

Porém, um fantasma assombra a maioria dos escritórios espalhados pelo mundo: o absenteísmo, ou seja, o volume excessivo de faltas ou atrasos no trabalho. No Brasil, o hábito de faltar ao serviço, seja no setor privado ou público, é bastante comum. Por que isso acontece?

Absenteísmo corporativo: os impactos

Os fatores para o absenteísmo podem ter causas externas e internas. Os fatores internos estão ligados ao ambiente de trabalho, a equipe, ao chefe, as condições físicas do local de trabalho, ao salário, a possibilidade de crescimento profissional e outros; já os fatores externos, são referentes à saúde psíquica do trabalhador, relacionamento interpessoal e familiar, os quais influem no desempenho do colaborador.

A queda da eficiência e produtividade também é um desafio em empresas com alto índice de absenteísmo.

A queda da eficiência e produtividade também é um desafio em empresas com alto índice de absenteísmo.

Para a organização, os prejuízos são enormes. O aumento na rotatividade e a diminuição do desempenho e da produtividade dos colaboradores têm reflexos diretos nos resultados. Sem uma satisfação no ambiente profissional, um colaborador não terá o impulso necessário para desempenhar as suas atividades com qualidade no trabalho.

Um dos impactos mais sentidos com o alto índice de absenteísmo no trabalho é em relação à esse abandono do cargo. Os empregados tendem a buscar novas alternativas e abandonam seus postos aos poucos, faltando e, ao mesmo tempo, buscando outra alternativa fora da empresa. Além dos custos elevados de contratação e treinamento de novos profissionais, a reputação da empresa pode ser afetada diante da sociedade.

A queda da eficiência e produtividade também é um desafio em empresas com alto índice de absenteísmo. Afinal, um funcionário desmotivado e insatisfeito apresenta comportamentos questionáveis, principalmente em relação ao seu desempenho. A sua função e os objetivos de seu trabalho deixam de ser prioridade, ocasionando uma perda de qualidade na execução de suas atividades e a sua produtividade diminui consideravelmente. Se esse funcionário lidar diretamente com clientes, é bem capaz que os prejuízos sejam irreparáveis.

As principais causas para o absenteísmo são: 

Incompatibilidade com cultura organizacional: 

Muitas empresas não possuem claros os valores de sua marca ou da forma que os trabalhos devem ser geridos. Por isso, se o comportamento do profissional e os princípios e os valores da empresa não estiverem alinhados, é bem provável que ele se sinta desmotivado e incorra no absenteísmo.

Assédio moral

Os tempos mudaram — finalmente! Hoje em dia, os profissionais que se sentem tiranizados ou debochados por colegas de trabalho/chefia podem reclamar com propriedade. Porém, ainda há muito medo de represálias, por isso, se houver assédio moral, há grandes chances de vítimas alegarem doença ou problemas pessoais para faltar ao trabalho e evitar o assédio sofrido.

Volume excessivo de trabalho

Abuso com excesso de trabalho afeta a produtividade e a satisfação do profissional. Isso ocorre porque o trabalhador com altos níveis de estresse psicológico ocasionados pelo grande volume de serviço pode deixar de comparecer ao trabalho na frequência necessária.

Falta de infraestrutura e doenças 

Causas mais comuns como justificativa para faltas ou atrasos, as doenças e consultas médicas fazem parte do cotidiano de várias empresas. E, sendo verdadeiras ou não, é imprescindível que o ambiente de trabalho ofereça bem-estar, higiene e condições dignas para efetuar o serviço.

Pior do que faltar ao serviço, é o funcionário constatar que ficou doente dentro do ambiente de trabalho. Seja pela falta de instrumentos para a higiene, falta de refrigeração (ou manutenção precária de ar condicionado), limpeza do lugar, instrumentos para incentivar a saúde bocal, entre várias outras questões.

Qual a solução para o absenteísmo?

Empresas que prezam por uma equipe de qualidade, que seja produtiva, ciente dos princípios da marca e que tenham um propósito dentro da organização, precisam investir em maneiras de oferecer bem estar e dignidade ao trabalhador.

Apostar em capacitação e motivá-los para exercer suas atividades com empenho e alto desempenho, individualmente ou em equipes, todavia, a infraestrutura precisa ser coerente com a qualidade do que se é esperado dos trabalhadores.

Um bom exemplo é investir em áreas delicadas como banheiros e escritórios. Para o primeiro ambiente, disponibilizar dispenser de papel toalha, sabonete líquido, papel higiênico, fio dental e enxaguante bucal são cruciais para mostrar ao funcionário que a empresa quer que ele se preocupe com os cuidados básicos para uma boa saúde e higiene.

“Muitas vezes somos pegos de surpresa e temos de fazer necessidades fisiológicas e não gostaríamos, principalmente, em locais como no escritório. Isso acontece e muito, pois é onde passamos a maior parte de nossas horas lúcidas contínuas! Se a pessoa não for e fica segurando, isso gera problemas de saúde no médio e longo prazo, além de tirar totalmente a concentração do colaborador”, aponta Wesley Garcia Gomes, Diretor Comercial da Wesco, empresa especialista em oferecer ferramentas de higiene e bem-estar.

Para Wesley, as pessoas não gostam de usar banheiros longe de casa por causa do nojo e constrangimento. Por causa disso, é necessário investir nessas questões que são básicas e importantes. “A Wesco disponibiliza dispensers de álcool gel para higienizar o assento e protetores de assento descartáveis.

Para evitar o constrangimento de usar o sanitário, a Wesco oferece o Freeco, que basta dar cinco sprays no vaso antes de usar, formando uma barreira de óleo natural com aroma de capim-limão ou especiarias, o que não deixa o mau cheiro sair da água do vaso, mantendo o banheiro sem odores durante e depois do uso do sanitário. Veja mais soluções da Wesco aqui.

Mau hálito no escritório tem solução

Além do constrangimento em usar banheiros, causando desconforto nos colaboradores, outra questão que incomoda muito é o mau hálito ou alimentos presos entre os dentes. “Isso tira a concentração de qualquer um, além de irritar bastante! Para o mau hálito a Wesco oferece um dispenser exclusivo para a disponibilização de enxaguante bucal com sistema anti-furto e um único dispenser de fio dental ultra higiênico, com corte automático, para retirar o que estiver incomodando entre os dentes”.

Com informações: Mundo RH, Convenia, Administradores, Havard Business Review Brasil.